Cookies on this website
We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you click 'Continue' we'll assume that you are happy to receive all cookies and you won't see this message again. Click 'Find out more' for information on how to change your cookie settings.

O presente artigo analisa a representação de personagens deficientes em livros britânicos e norte-americanos do século XIX ao início do século XXI. São analisados tanto os assim chamados clássicos infantis quanto livros fora de edição ou não tão disponíveis. Uma das conclusões é que a representação de personagens deficientes geralmente é mais complexa e variada nos livros mais antigos. Além disso, segundo a visão de muitos autores do século XIX e início do século XX, é necessário aceitar infortúnios como uma forma de obediência a Deus, mas também porque, em última análise, eles são considerados um bem. Portanto, em muitos livros, a deficiência e sua cura, quando ocorre, estão associadas com o caráter. This article examines the representation of disabled characters in British and American nineteenth century to the early twenty-first century books. Are analyzed both the so-called children's classics as books out of print or not so available. One of the conclusions is that the representation of disabled characters is usually more complex and varied in older books. Moreover, in the view of many authors of the nineteenth and early twentieth century, it is necessary to accept misfortune as a form of obedience to God, but also because, ultimately, they are considered an asset. So many books, deficiency and its cure, when it occurs, is associated with the character. O presente artigo analisa a representação de personagens deficientes em livros britânicos e norte-americanos do século XIX ao início do século XXI. São analisados tanto os assim chamados clássicos infantis quanto livros fora de edição ou não tão disponíveis. Uma das conclusões é que a representação de personagens deficientes geralmente é mais complexa e variada nos livros mais antigos. Além disso, segundo a visão de muitos autores do século XIX e início do século XX, é necessário aceitar infortúnios como uma forma de obediência a Deus, mas também porque, em última análise, eles são considerados um bem. Portanto, em muitos livros, a deficiência e sua cura, quando ocorre, estão associadas com o caráter. This article examines the representation of disabled characters in British and American nineteenth and early twentieth century books. Both the so-called children's classics and out-of-print or less available books are analysed. One of the conclusions is that the representation of disabled characters is usually more complex and varied in older books. Moreover, in the view of many authors of the nineteenth and early twentieth century, it is necessary to accept misfortunes as a form of obedience to God, and also because, ultimately, they are considered an asset. Thus in many books, disability and its cure, when it occurs,are associated with character development.

Type

Journal article

Journal

Educacao e Realidade

Publication Date

17/12/2013

Volume

38

Keywords

Children's literature, People with disabilities, 'School of Pain'